A Revolução dos Bichos

Você chega em casa acelerada perto das 21 horas, recolhe o coelho da área externa e vai limpar a bagunça que ele fez por lá, rezando pro xixi dele não ter manchado o azulejo. Transfere ele para o jardim de inverno, coloca o leite para ferver, liga o computador. Abre a porta da frente para o Ricky ser cachorro e latir um pouco no portão. Espera o leite terminar de ferver e deixa esfriando. Volta para o computador e começa a correr com os trabalhos atrasados.

Retorna para o leite, agora morno, e experimenta fazer uma receita de iogurte natural. Embala o recipiente de vidro com um pano e deixa repousando – alguém tem que repousar nessa casa – por pelo menos 8 horas. Que saudade ter 8 horas de repouso! Mas tudo bem, iogurte, você merece. Vai lá descansar. Enquanto isso eu sento no computador.

– Amor, tá terminando?
– É o último – repeti disso pela 3ª vez sabendo que não seria o último.

O gato da vizinha tentou entrar de novo em casa. Eu só fico pensando no estrago que ele faria com uma chinchila, um coelho e dois esquilos. Ricky volta todo pimpão sem honrar a ração que come – nem assustou o gato, esse catioro. Olho novamente para a cara deslavada dele… Marrom. Suspiro, nem quero saber como que isso aconteceu.

Desligo o computador finalmente, vou tomar banho, lavar a cabeça depois de ficar com o cabelo preso por 4 dias seguidos sem ter tempo hábil para lavá-lo. Seco. Nem acredito que vou deitar na cama senhor! É 1 hora da manhã.

Despertador toca. Marido olha o jardim e descobre de onde veio a nova coloração do Ricky: de um jardim cavoucado. Roupas no sofá, brinquedos do cachorro por todos os cômodos, pó fazendo companhia nessa convivência harmônica. Livros empilhados na poltrona esperando uma solução. Eu sento na mesa para tomar café – querendo deitar em posição fetal debaixo da mesa e esperar uma solução divina para a bagunça acumulada de duas semanas trabalhando de domingo a domingo – e ouço um barulho esquisito, olho para o lado e lá está ele: Bilbo, o coelho idoso, em cima do vaso de costela de Adão… Devorando a terceira folha. Corro na tentativa em vão de salvá-la, mas cheguei tarde.

Me rendi à revolução dos bichos, tudo bem, a casa é toda de vocês.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s